Menor de 13 anos envenena colega de escola de 11 com soda cáustica

0
914

Uma menina de 11 anos está há uma semana internada em estado grave no Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, Mato Grosso, por ter ingerido uma mistura de soda cáustica e limpa alumínio oferecida por uma colega de escola de 13. A Polícia Civil investiga o caso.

Curta nossa página no FACEBOOK e saiba de todas notícias de Cianorte e Região

De acordo com boletim de ocorrência registrado na última quinta-feira (29) por Elaine Alves Cristina de Souza, mãe da vítima, a suspeita do envenenamento foi à escola dois dias antes munida de uma garrafa de líquido de cor rosa. A jovem ofereceu a bebida para a filha e para alguns colegas, mas ninguém aceitou ingeri-la.

No entanto, como as duas voltavam juntas de ônibus para casa, a adolescente de 13 anos voltou a oferecer a bebida para a colega. Ela alegou que o líquido se tratava de vinho e que a menina de 11 deveria tomar primeiro, e acabou convencendo a vítima.

Segundo Elaine Alves contou à polícia, a filha chegou em casa e não demorou para apresentar sintomas preocupantes – ela ficou com a boca inchada e começou a babar. A vítima foi conduzida imediatamente a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região em que mora.

O diagnóstico da filha, porém, era grave, e ela acabou transferida para o Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá. A menina de 11 anos teve o estômago e o esôfago afetados pela mistura e segue internada sem previsão de alta, alimentando-se por sonda.

Elaine Alves acredita que a adolescente cometeu o crime por ciúmes da filha, que teria sido vista pela suspeita conversando com um garoto que ela gosta na escola dois dias antes do envenenamento.

O boletim de ocorrência foi registrado na Central de Flagrantes como lesão corporal e tentativa de homicídio e depois encaminhado à Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), que iniciou as investigações nesta segunda-feira. A mãe da vítima já prestou depoimento, e agora as autoridades tentam identificar e localizar a suspeita do envenenamento.

Fonte: UOL