VAR rouba a cena na final entre Corinthians e Cruzeiro; Gaciba analisa lances

0
56

A final da Copa do Brasil entre Corinthians e Cruzeiro, na noite desta quarta-feira, em Itaquera, foi marcada por dois lances envolvendo o VAR (árbitro de vídeo, na sigla em inglês): um pênalti de Thiago Neves em Ralf e um gol anulado de Pedrinho por falta de Jadson em Dedé na origem da jogada. O Cruzeiro acabou campeão: venceu por 2 a 1 e conquistou o hexa da Copa do Brasil.

Curta nossa página no FACEBOOK e saiba de todas notícias de Cianorte e Região

O primeiro lance com VAR ocorreu aos 7 minutos do segundo tempo. O árbitro Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ), num primeiro momento, nada marcou. Mas, alertado pelo rádio, foi até a estação de vídeo e, ao ver o replay, entendeu que Thiago Neves fez pênalti em Ralf.

Para Leonardo Gaciba, comentarista de arbitragem da TV Globo, Wagner Magalhães errou.

– É uma jogada interpretativa. Pelas imagens que nós temos à disposição, eu não tomaria a mesma decisão que o árbitro tomou. Eu não marcaria a penalidade.

O segundo lance foi aos 24 minutos. Pedrinho, de fora da área, surpreendeu o goleiro Fábio e fez um golaço. Mas o árbitro, também alertado pelo rádio, reviu o lance e viu uma falta de Jadson em Dedé.

Para Leonardo Gaciba, desta vez, Wagner Magalhães acertou:

– Uma das funções é analisar a origem do lance, e Jadson leva a mão ao peito de Dedé. Nesse caso, ele acertou.

O Corinthians acabou levando depois o segundo gol, de Arrascaeta, em jogada sem necessidade do recurso de vídeo. Para tristeza deste torcedor:

Fonte: globoesporte.globo.com