Mulher mata vizinha e criança de 4 anos a facadas em Perobal

0
238

Um motivo banal resultou em um duplo homicídio numa fazenda localizada na Estrada Vermelha, no Cedro, distrito de Perobal, na tarde de terça-feira (19). Uma mulher e o filho, de seis anos, foram mortos a facadas e tiveram seus pescoços cortados.

Curta nossa página no FACEBOOK e saiba de todas notícias de Cianorte e Região

Detida, uma mulher confessou a autoria. Ela disse ter saído de casa com a intenção de matar o esposo da vítima, por este comumente tirar sarro e falar algumas coisas de seu companheiro. Ambas residem e trabalham na propriedade.

Na casa da colega de trabalho, como não encontrou seu alvo, a acusada sentou, pediu uma água e conversou com a vítima. Depois ela tirou a faca da cintura e acabou matando a mulher com dois golpes no peito, e posteriormente a criança, que estava no quarto. As vítimas tiveram os pescoços cortados.

Antes de confessar, a autora dos homicídios tentou convencer os policiais de que os crimes teriam sido praticados por dois assaltantes. Eles teriam abordado a suspeita e fizeram com que ela fosse até a casa das vítimas para roubar dinheiro. Em sua versão inicial, ela ainda informou que os bandidos teriam matado a mãe e a criança e que inclusive teria entrado em luta corporal com um deles. Mas com a apreensão da faca, que estava com a acusada, a versão caiu ‘por terra’.

Após a Polícia Civil de Umuarama chegar e analisar a cena do crime, identificaram alguns elementos que não condiziam com o depoimento inicial da suspeita. Os policiais conversaram com a acusada, que acabou confessando o duplo homicídio e deu detalhes de como ele ocorreu.

“Ela diz que tem transtorno bipolar, que se trata em um psiquiatra de Umuarama, mas isso é algo que será apurado no decorrer do processo”, disse o delegado Fernando Ernandes Martins, que ressaltou o fato de a autora ter demonstrado frieza o tempo todo.

Martins ressaltou que a acusada confessou inclusive ter amolado a faca com que cometeu os homicídios antes de sair de casa. “Ela disse que já trabalhou em um abatedouro e que sabia amolar bem uma faca”, explicou.

A acusada não teve seu nome divulgado até o momento, nem as vítimas. Os corpos foram recolhidos ao IML de Umuarama.

Fonte: O Bem Dito